sábado, 13 de fevereiro de 2010

Disco da Semana #7: Shadows Fall - The Art Of Balance



Shadows Fall é uma banda de Heavy/ Thrash Metal ou Metalcore (Por serem umas das precursoras da Nova Onda do Heavy Metal Americano (New Wave of American Metal, NWOAHM), la pelos idos do anos 90, na cidade de Springfield, Massachusets. Eu pessoalmente, fui conhecer a banda pelo jogo Guitar Hero II (aliás um ótimo jogo para se conhecer bandas boas e desconhecidas), jogando a música "The Light That Blinds", do albúm "The War Within". uma música que começa calma, com violões bem tranquilos, que param, e cara é uma avalanche de arpejos, bateria moendo os seus ouvidos com pedal duplo, seguido de vocais agressivos, e várias passagens técnicas.

E eu adorei aquilo, nunca sequer tinha me passado pela cabeça que havia bandas que conseguissem casar tão bem a agressividade do Thrash Metal, com o melódico do Metal Tradicional. E o Shadows Fall é uma  das principais bandas desse "estilo" que conseguem fazer um som pesado, limpo, técnico e melódico. "The Art Of Balance" é o terceiro disco da banda, que pasmém tem 15 anos de estrada no underground, e só agora sendo muito bem reconhecida mundialmente, graças é claro de jogos com o Guitar Hero. O disco abre com a rápida "Idle Hands" com total destaque ao batera Jason Bittner, um dos melhores da atualidade.

A melhor música da carreira do SF está nessa bolacha fodástica "Thoughts Without Words": rápida, técnica e agressiva. Os melhores gritos e berros do vocalista Brian Fair estão presentes e destaque para as guitarras afiadas de Jonathan Donais, que solo! A bela instrumental  acústica "Casting Shade" é uma calmaria em plena tempestade sonora que continua com "Stepping Outside the Circle". A faixa-título tem bastante semelhança com as power ballads do Metallica (vide Fade To Black como referência).  E para quase finalizar o disco, vem a épica "A Fire In Baylon" com muitas guitarras em dobra e bateria bem técnica. Enjoy!

Nota: a razão do título do disco "The Art Of Balance" (A Arte do Equilíbrio) é que a banda acredita que é possível misturar os elementos do rock, metal e hardcore juntos como um só (a premissa do Metalcore e evidentemente na sonoridade do disco.)

 
1. Idle Hands
2. Thoughts Without Words
3. Destroyer of Senses

4. Casting Shade (Intrumental)
5. Stepping Outside the Circle
6. The Art of Balance 
7. Mystery of One Spirit
8. The Idiot Box 
9. Prelude to Disaster
10. A Fire in Babylon 
11. Welcome to the Machine (Pink Floyd cover)


Formação:

Brian Fair – Voz
Jonathan Donais – Guitarra
Matt Bachand – Guitarra
Paul Romanko – Baixo
Jason Bittner – Bateria

Reações:

0 comentários: