sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Disco da Semana #12: Iron Maiden - "The Final Frontier"



O espaço... A fronteira final. Não para esses senhores mestres do metal! O Iron Maiden figura como a maior banda de Heavy Metal de todos os tempos! Há mais de 30 anos eles inundam com maestria nossos ouvidos com grandes canções e mostram aos nossos olhos um grande impacto visual atemporal em seus shows! Dia 16 de agosto de 2010 é lançado "The Final Frontier", 15º albúm da carreira desta majestosa banda.

Nunca fui um fã que exigisse algo de alguma banda, mesmo porquê é impossível eu exigir pois nenhum deles me conhece. Acho rídiculo também fãs xiítas meterem o pau em um disco de alguma banda, mesmo sem saber qual o atual momento físico, psicológico dos membros, se eles passam por algum problema, ou até mesmo felicidade e isso interferir na composição das canções que vão integrar a obra. E o pior é fã que quer dar uma de intelectual da música, conhecedor milenar musical e só flaar essa música é ruim, essa aqui também e não. O fã de hoje em dia só quer coisa de altíssima qualidade, independentemente de qualquer coisa que aconteça na banda seja pessoal, financeiro ou algo mais grave. Se sou fã de uma banda, sou fã indepedente das fases ruins, e acredite: todas as bandas tem suas fases ruins!

Desabafos a parte. Como muitos sabem o Iron Maiden faz parte da minha trindade de bandas favoritas onde se destacam também o Angra e o Dream Theater. Como todas minhas bandas prediletas e viciado em música eu fico muito ansioso pra ouvir os lançamentos e com o Iron Maiden não foi diferente. Em meados de junho, a banda anuncia o novo albúm "The Final Frontier" e disponibiliza a faixa "El Dorado" para audição. Baixei e dei o play. Uma explosão com os intrumentos acontece, quando tudo se silencia começa uma das primeiras marcas clássicas da donzela se dá inicio: introdução cavalgada, bateria marcante e riffs variados. O instrumental segue a proposta do disco anterior "A Matter Of Life And Death". O refrão é agudo e bem viciante com um Bruce Dickinson mostrando que ainda tem gás pra continuar cantando por bastante tempo!

"Satellite 15... The Final Frontier" foi lançada em clipe, mas a teatralidade abordada nele com os efeitos sonoros por cima da música, atrapalhou muito pra avaliá-la. E ainda fiquei com aquela: "como eles editaram uma música de 08m:40s pra uma de 4m:00s"? Pensei eu: "eles esconderam a melhor parte".  Com o disco no HD e agora em mãos (meu cd chegou hoje! *-*) avaliei melhor. Creio que a introdução da música é algo diferente em todas as introduções dos discos.  É um tanto confusa, algo sem sentido. Bateria fazendo viradas,que muitos disseram "tribais" que de tribal não me soou nada, guitarras tocandos meio que descompassadas, cada uma fazendo que bem entender, e Bruce entra cantando alto, dramático, mas nada exagerado! Esse é meu único ponto baixo do disco uma introdução que me soou muito estranha, mas que deve funcionar muito bem ao vivo pra começar o show da turnê nova com um palco futurístico e muitas luzes.
E finalmente a verdadeira música começa, Um verdadeiro hard rock empolgante que vão desdes os riffs simples e bem construídos até Bruce cantando "The final frontier!" várias e várias vezes.

"Mother Of Mercy" é uma música mais densa, obscura com sua parte memorável aos 2:37. "Coming Home" é uma power ballad de cair o queixo, bem parecida com "Chemical Wedding" de Bruce Dickinson em sua melodia. É cativante, tem emoção, tem sentimento! Coisa que o Iron tem inundando em seus últimos albúns. "The Alchemist" tem um quê de anos 80, música rápida, guitarras dobradas mas nada demais, só um refrão empolgante acompanhado das guitarras dobrando a melodia, típica faixa do Maiden.

"Isle of Avalon" já começa com a nostálgica lembrança de "Seventh Son of A Seventh Son". A introdução termina e começa algo rápido com Bruce cantand um dos melhores refrões do disco. As tão faladas partes progressivas surgem com o instrumental fazendo compassos lentos e mais quebrados, aos 4:02 mas nada soando exagerado. o solo de guitarra nessa música lembra bastante algo do Rush. amúsica cai de volta na introdução e finaliza com o refrão empolgante.

"Starblind" E uma faixa que se encaixaria muito bem no "Brave New World" ou até mesmo no "A Matter...". É outra faixa densa e obscura com uma introdução breve. E o que segue é um riff de guitarra bem metal. Um ritmo mais cadenciado segue por toda a música, a parte de se emocionar é aos 5:02 com as guitarras desfilando melodias com o teclado ao fundo se fazendo de orquestra. Grandioso!

"The Talisman" começa bem aos moldes de "Dance Of Death" e "The Legacy" como se  Bruce estivesse sentado perto de uma fogueira nos cantando uma história e um dos guitarristas com um violão acompanhando. A música cresce com a banda tocando rápido e Bruce cantando alto. A canção segue com aquelas melodias dançantes, marca registrada da banda. Tem suas partes progressivas, achei um pouco forçado quebrar o ritmo dessa música por ser mais animada, mas nada demais pois esse é o clima que a banda está tendo músicas mais estruturadas, mas nada soando exagerado.

"The Man Who Would Be King" começa com uma introdução lenta, um solo simples sem preocupação mas com emoção e um Bruce cantando contido. O que vem depois uma outra introdução com a banda inteira, bem heavy metal tradicional. A magia acontece aos 03:57 com um instrumental solto sem se preocupar em ser técnico ou não, é espontãneo, é cativante, é Iron Maiden renovado.

“When The Wild Wind Blows” se inicia com o vento soprando e com ele a melodia mais cativante do disco se dá inicio, é a melodia do vocal de Bruce contrastando com as melodias das guitarras, é algo emocionante. Trás sentimentos de felicidade e esperança apesar de ser uma letra crítica. O que ouvimos nessa música é sentimento emtodas as notas e solos tocados. Disparado  a melhor música do disco.

O espaço... A fronteira final? Não para esses mestres! É  apenas o começo... Up the irons!


1. Satellite 15....The Final Frontier (8:40)
2. El Dorado (6:49)
3. Mother Of Mercy (5:20)
4. Coming Home (5:52)
5. The Alchemist (4:29)
6. Isle Of Avalon (9:06)
7. Starblind (7:48)
8. The Talisman (9:03)

9. The Man Who Would Be King (8:28)
10. When The Wild Wind Blows (10:59)


SITE OFICIAL 

Reações:

0 comentários: